Make your own free website on Tripod.com
O trabalho

Home

Família...
Medo
Preconceito
Amor
A Paz e a Solidariedade
Poesias...
A Esperança e a Fé
A Solidão e a Tristeza
Alegria e Felicidade
A amizade
O trabalho
Sexo
Elementos

O que dignifica o homem...

O trabalho é o sinônimo de construção, seja ela: sua própria, da sociedade, etc.

É, ainda, o trabalho, a maior prova de solidariedade humana:

UTILIZAR SUAS HABILIDADES PARA AJUDAR OS DEMAIS, QUE O AJUDARÃO, QUANDO PRECISAR, COM AS DELES.

garfieldcomjornal.gif

Canção do Sal - Milton Nascimento

Trabalhando o sal, é amor o suor que me sai.
Vou viver cantando o dia tão quente que faz.
Homem ver crianças buscando conchinhas no mar,
trabalha o dia inteiro prá, vida de gente, levar.

...

Trabalhando o sal pra ver a mulher se vestir
e, ao chegar em casa, encontrar a família, sorrir!
Filho vir da escola, problema maior de estudar,
que é pra não ter meu trabalho e vida de gente, levar.

A Borboleta

"Um dia, uma pequena abertura apareceu em um casulo, um homem sentou e observou a borboleta por várias horas conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco. Então pareceu que ela parou de fazer qualquer progresso.

Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais longe. Então o homem decidiu ajudar a borboleta, ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.

O homem continuou a observar a borboleta porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo, que iria se afirmar a tempo. Nada aconteceu!

Na verdade, a borboleta passou o resto da sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendia era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo com que Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas de modo que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida.Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar.

Eu pedi Força...e Deus me deu Dificuldades para me fazer forte.
Eu pedi Sabedoria...e Deus me deu Problemas para resolver.
Eu pedi Prosperidade...e Deus me deu Cérebro e Músculos para trabalhar.
Eu pedi Coragem... e Deus me deu Perigo para superar.
Eu pedi Amor... e Deus me deu pessoas com Problemas para ajudar.
Eu pedi Favores... e Deus me deu Oportunidades.
Eu não recebi nada do que pedi... Mas eu recebi tudo de que precisava."

Autor desconhecido

"ESTRADA PARA O SUCESSO"

A estrada para o sucesso não é uma reta. Há uma curva chamada fracasso, um trevo chamado confusão, quebra molas chamado amigos, faróis de advertência chamados família e pneus furados chamados empregos. Mas... se você tiver um estepe chamado determinação, um motor chamado perseverança, um seguro chamado fé e um motorista chamado "Jesus", você chegará a um lugar chamado sucesso!!!

Autor desconhecido

sobpressao.gif

O Paradoxo de Nossos Tempos

"O paradoxo de nosso tempo na história é que temos edifícios mais altos, mas Pavios mais curtos; auto estradas mais largas, mas pontos de vista mais estreitos; Gastamos mais, mas temos menos; nós compramos mais, mas desfrutamos menos.

Temos casas maiores e famílias menores; mais conveniências, mas menos tempo. Temos mais graus acadêmicos, mas menos senso; mais conhecimento e menos poder de julgamento; mais proficiência, porém mais problemas; mais medicina, mas menos saúde.

Bebemos demais, fumamos demais, gastamos de forma perdulária, rimos de menos; dirigimos rápido demais, nos irritamos muito facilmente, ficamos acordados até tarde e acordamos cansados demais; Raramente paramos para ler um livro, ficamos tempo demais diante da TV e raramente oramos.

Multiplicamos nossas posses, mas reduzimos nossos valores; falamos demais, Amamos raramente e odiamos com muita frequência; aprendemos como ganhar a vida, mas não vivemos esta vida; adicionamos anos à extensão de nossas vidas, mas não vida à extensão de nossos anos; já fomos à Lua e dela voltamos, mas temos dificuldade em atravessar a rua e nos encontrarmos com nosso novo vizinho.

Conquistamos o espaço exterior, mas não nosso espaço interior; fizemos coisas maiores, mas não coisas melhores; limpamos o ar, mas poluímos a alma; dividimos o átomo, mas não nossos preconceitos; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a correr contra o tempo, mas não a esperar com paciência; temos maiores rendimentos, mas menor padrão moral; temos mais comida, mas menos apaziguamento; construímos mais computadores para armazenar mais informações e para produzir mais cópias do que nunca, mas temos menos comunicação; tivemos avanços na quantidade, mas não na qualidade.

Estes são tempos de refeições rápidas e digestão lenta; de homens altos e caráter baixo; lucros expressivos, mas relacionamentos rasos; estes são tempos em que se almeja a paz mundial, mas perdura a guerra nos lares; temos mais lazer, mas menos diversão; maior variedade de tipos de comida, mas menos nutrição; são dias de duas fontes de renda, mas de mais divórcios; de residências mais belas, mas lares quebrados.

São dias de viagens rápidas, fraldas descartáveis, moralidade também descartável, Ficadas de uma noite só, corpos acima do peso, e pílulas que fazem de tudo:

- alegrar, - aquietar... e matar.

Em um tempo em que há muito na vitrine e nada no estoque. Um tempo em que a tecnologia pode levar-lhe estas palavras e você pode escolher entre fazer alguma diferença, ou simplesmente apertar a tecla DEL."

Autor Desconhecido