Make your own free website on Tripod.com
Medo

Home

Família...
Medo
Preconceito
Amor
A Paz e a Solidariedade
Poesias...
A Esperança e a Fé
A Solidão e a Tristeza
Alegria e Felicidade
A amizade
O trabalho
Sexo
Elementos

Algo que pode derrubar tudo...

O medo é um dos maiores problemas que enfrentamos... Devemos superá-lo! Na maioria das vezes, o medo de errar causa-nos maior problema do que se tivéssemos feito...

A princípio, existem dois tipos gerais de medo:

Medo de Fazer;

Medo de não fazer.

Não tenhas medo!!!

entardecer.jpg

Desafie seu medo:

Numa terra em guerra, havia um rei que causava espanto.
Cada vez que fazia prisioneiros, não os matava, levava-os a uma sala, que tinha um grupo de arqueiros em um canto e uma imensa porta de ferro do outro, na qual haviam gravadas figuras de caveiras cobertas por sangue.
Nesta sala ele os fazia ficar em círculo, e então dizia:

- Vocês podem escolher morrer flechados por meus arqueiros, ou passarem por aquela porta e por mim lá serem trancados.

Todos os que por ali passaram, escolhiam serem mortos pelos arqueiros.
Ao término da guerra, um soldado que por muito tempo servira o rei, disse-lhe:

- Senhor, posso lhe fazer uma pergunta?
- Diga, soldado.

- O que havia por de trás de assustadora porta?
- Vá e veja.
O soldado então a abre vagarosamente e percebe que a medida que o faz, raios de sol vão adentrando e clareando o ambiente, até que totalmente aberta, nota que a porta levava a um caminho que sairia rumo a liberdade.
O soldado admirado apenas olha seu rei que diz:
- Eu dava a eles a escolha, mas preferiram morrer a arriscar abrir esta porta.

- Quantas portas deixamos de abrir pelo medo de arriscar?
- Quantas vezes perdemos a liberdade e morremos por dentro, apenas por sentirmos medo de abrir a porta de nossos sonhos?

(autor desconhecido)

1. O que é o medo? Sentimento de angústia, de apreensão em face de um perigo real ou imaginário (Dic.Aur.). O medo é uma reação normal, nasce com as pessoas, nenhum ser humano esta imune a esta emoção, por isto precisamos ser reais, todos temos medo, muitos temem quase tudo e carregam consigo uma infinidade de preocupações com a família, o emprego, contas a pagar, a saúde, a violência urbana, etc. É claro que nem todos os temores são maléficos, existe uma forma de medo legítimo, que não apenas é admissível, como também essencial à auto-preservação .

Podemos enfatizar três tipos de medo: o racional, o exagerado e o irracional. O medo racional é proporcional ao nível de perigo que o ameaça. O medo exagerado é baseado na realidade, mas é desproporcional ao nível de perigo que faz a ameaça. O medo irracional não tem base na realidade atual da qual estamos conscientes. É ter medo de algo que não existe. Ligados ao medo irracional estão as fobias e paranóias.

Existem medos adquiridos por aprendizagem: a) experiências da infância; b) copiando os medos dos pais; c) insatisfação dos pais em relação aos filhos; d) golpes de desastre. O medo é alimentado por: a) violência explorada em jornais e TV; b) dor ; c) sentimentos de insuficiência; d) a defesa do Ego; i) o conceito distorcido de Deus. O medo nutre-se de você. Você é o prato principal do seu medo; sempre roubando suas forças, rompendo sua concentração. Leva à exaustão mental resultante da permanência prolongada do medo.

2. As estruturas do medo. O medo pode significar: monotonia, luta, erros financeiros, perda de tempo, conformação, impiedade, problemas de saúde, morte prematura, má formação de relacionamentos, não aceitação de responsabilidades, não perceber críticas, não enfrentar luta aberta, não enfrentar o fracasso. O medo nos sufoca e nos desgasta. Os que não sabem como dizer "não" a outros estão sendo escravizados e esgotados pelo medo. O medo não resolvido, assim como a ira, acaba desanimando ou esgotando outros. O medo nos faz sentir isolados e solitários.

O medo arraigado pode ser uma expressão de um bloqueio emocional. Pode parecer incoerente, mas pessoas que são controladoras, dominadoras e até manipuladoras freqüentemente agem assim por ter uma raiz de medo profundamente forte. O medo arraigado nos leva a perder contato com a realidade.

3- O que é preciso fazer para vencer o medo. a) Admitir que tem medo; b) Desejar realmente vencer o medo; c) Analise seus medos; d) Expresse seus medos; e) Enfrente seus perigos; f) Use a censura (bom senso e sabedoria) a tudo que recebe na sua mente; g) Cultive o amor; h) Basta viver cada dia (Mt. 6).

Nosso medo, muitas vezes (possivelmente na maioria das vezes), se baseia em alguma mentira ou meia-verdade de Satanás (Sl 55:22; I Pe 5:7). Ore agradecendo a Deus, pela fé com perseverança, pela sua própria vitória sobre o medo. Peça a Deus força para continuar vencendo o medo dia após dia. Veja-se vencendo o medo, quando ele assaltar sua mente através dos pensamentos inspiradores de medo, confronte a si mesmo e, no poder de Deus, subjugue-o e saia vitorioso. Se as suas visualizações tem sido negativas, passe a usar as armas espirituais que o Senhor nos dá e transforme-os em ferramentas eficazes conta o temor. Finalmente faça suas auto-afirmações trabalharem para você na conquista do medo. Acima de tudo coloque sua confiança em Deus, Aquele que jamais falhará e que providenciou em Jesus Cristo, na Cruz do Calvário vitória completa sobre o medo.

No amor não há medo. Antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor. (I João 4:18)

Sílvia Rodrigues
Texto-matéria retirado da Revista Candeia, na Web.

loco.gif

Os Sapos

Se existem três sapos numa folha, e um deles decide pular da folha para a água, quantos sapos restam na folha?

A resposta certa é: Restam três sapos. Porque o sapo apenas decidiu pular. Ele não fez isso.

Nos não somos como o sapo, muitas vezes? Que decide fazer isso, fazer aquilo, mas ao final acabamos não fazendo nada?

Na vida, temos que tomar muitas decisões. Algumas fáceis; algumas difíceis.

A maior parte dos erros que cometemos não se devem a decisões erradas. A maior parte dos erros se devem a indecisões. Temos que viver com a conseqüência das nossas decisões. E isto é arriscar. Tudo é arriscar.

Rir é correr o risco de parecer um tolo. Chorar, é correr o risco de parecer sentimental. Abrir-se para alguém é arriscar envolvimento.

Expor os sentimentos é arriscar a expor-se a si mesmo. Expor suas idéias e sonhos é arriscar-se a perdê-los. Amar é correr o risco de não ser amado.

Viver é correr o risco de morrer. Ter esperanças é correr o risco de se decepcionar. Tentar é correr o risco de falhar.

Os riscos precisam ser enfrentados, porque o maior fracasso da vida é não arriscar nada.

A pessoa que não arrisca nada, não faz nada, não tem nada, é nada. Ela pode evitar o sofrimento e a dor, mas não aprende, não sente, não muda, não cresce ou vive.

Presa à sua servidão, ela é uma escrava que teme a liberdade. Apenas quem arrisca é livre.

Autor desconhecido

O Rio e o Oceano

"Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.

Olha para trás, para toda a jornada, os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.

Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência.

Você pode apenas ir em frente. O rio precisa se arriscar e entrar no oceano. E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece. Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.

Por um lado é desaparecimento e por outro lado é renascimento."

Osho

O Caminho


Um dia, um bezerro precisou atravessar a floresta virgem para voltar a seu pasto. Sendo animal irracional, abriu uma trilha tortuosa, cheia de curvas, subindo e descendo colinas...

No dia seguinte, um cão que passava por ali, usou essa mesma trilha torta para atravessar a floresta. Depois foi a vez de um carneiro, líder de um rebanho, que fez seus companheiros seguirem pela trilha torta.

Mais tarde, os homens começaram a usar este caminho: entravam e saíam, viravam à direita e à esquerda, abaixando-se, desviando-se de obstáculos, reclamando e praguejando, até com um pouco de razão... Mas não faziam nada para mudar a trilha.

Depois de tanto uso, esta acabou virando uma estradinha onde os pobres animais se cansavam sob cargas pesadas, sendo obrigados a percorrer em três horas uma distância que poderia ser vencida em, no máximo, uma hora, caso a trilha não tivesse sido aberta por um bezerro.

Muitos anos se passaram e a estradinha tornou-se a rua principal de um vilarejo, e posteriormente a avenida principal de uma cidade.

Logo, a avenida transformou-se no centro de uma grande metrópole, e por ela passaram a transitar diariamente milhares de pessoas, seguindo a mesma trilha torta feita pelo bezerro... Centenas de anos antes...

Os homens têm a tendência de seguir como cegos pelas trilhas de bezerros de nossa mente, e se esforçam de sol a sol a repetir o que os outros já fizeram.

Contudo, a velha e sábia floresta ria daquelas pessoas que percorriam aquela trilha, como se fosse um caminho único... Sem se atrever a mudá-lo.

A propósito, qual é o seu caminho?


Autor Desconhecido

Para Refletir

"Se você abre uma porta, você pode ou não entrar em uma nova sala.

Você pode não entrar e ficar observando a vida.

Mas se você vence a dúvida, o temor, e entra,

dá um grande passo: nesta sala vive-se!

Mas, também, tem um preço...

São inúmeras outras portas que você descobre.

Às vezes curte-se mil e uma.

O grande segredo é saber quando e qual porta deve ser aberta.

A vida não é rigorosa, ela propicia erros e acertos.

Os erros podem ser transformados em acertos

quando com eles se aprende.

Não existe a segurança do acerto eterno.

A vida é generosa, a cada sala que se vive,

descobre-se tantas outras portas.

E a vida enriquece quem se arrisca a abrir novas portas.

Ela privilegia quem descobre seus segredos

e generosamente oferece afortunadas portas.

Mas a vida também pode ser dura e severa.

Se você não ultrapassar a porta,

terá sempre a mesma porta pela frente.

É a repetição perante a criação,

é a monotonia monocromática perante a multiplicidade das cores,

é a estagnação da vida...

Para a vida, as portas não são obstáculos, mas diferentes passagens!"


Içami Tiba

Em tempos bem antigos, um rei colocou uma pedra enorme no
meio de uma estrada. Ento, ele se escondeu e ficou observando para ver se algum tiraria a imensa rocha do caminho. Alguns mercadores e homens muito ricos do reino passaram por ali e simplesmente deram a volta pela pedra. Alguns at esbravejaram contra o rei dizendo que ele no mantinha as estradas limpas mas nenhum deles tentou sequer mover a pedra dali.
De repente, passa um campons com uma boa carga de vegetais.
Ao se aproximar da imensa rocha, ele ps de lado a sua carga e entou remover a rocha dali.
Aps muita fora e suor, ele finalmente conseguiu mover a pedra para o lado da estrada. Ele, ento, voltou a pegar a sua carga de vegetais mas notou que havia uma bolsa no local onde estava a pedra. A bolsa continha muitas moedas de ouro e uma nota escrita pelo rei que dizia que o ouro era para a pessoa que tivesse removido a pedra do caminho. O campons aprendeu o que muitos de nos nunca entendeu: "Todo obstculo contm uma oportunidade para melhorarmos nossa condio".
Obs.: Muitas vezes desviamos-nos do nosso caminho para no
encarar a realidade pela sua dificuldade e com isso no s passamos o problema para outros por no termos assumido a nossa parte da responsabilidade, como tambm podemos estar nos privando de muitas coisas boas, no mnimo a satisfao de ter realizado um grande feito.